Mare Nostrum

A Saga dos Puffs

Estava eu a apertar os atacadores – trabalho importante para se fazer no meio do nada se queremos andar com a vida prá frente – e chegaram até mim uns “aventureiros" que não encontravam uma porta que estava mesmo ao lado deles. Gente estranha esta que encontra um gnomo e não vê UMA DAQUELAAAAS PORTAS (escrevi com letra maiúscula para perceberem que era mesmo grandinha)!!! Eu indiquei o óbvio, mas vi que estes pobres coitados não iam sobreviver sem mim. Decidi ser o apoio deles. Sou mesmo boa pessoa! Ah! O Vismund também me perguntou se tinha visto um elfo assassino. Não vi.

Entretanto vimos um outro pobre coitado a ser perseguido por uma multidão. Conta-se que ele também triturou as coitadas das orelhas deles. O Davril fez puff e o ser desapareceu. Não me apetece prolongar esta história, porque é aborrecida e pessoas escorraçadas das suas cidades não me trazem boas memórias.

A seguir convidaram-nos para ir beber uns copos. A mulher que servia era charmosa… se estivessemos a compará-la com um orc. O Vismund ajudou-a a melhorar aquela água de pântano a que ela chamava de bebida. PAPAS DE AVEIA GRATUITAS PARA TODA A GENTE!!! Não gosto. O Vismund também perguntou se por acaso não viram um elfo assassino…

Fomos á arena ver barbaridades que disfarçavam desesperados de sádicos. Houve alguém que ficooouuuu seeeem o dinheeeeiiirooo que tinhaaaaa noooo bolsooo. Azar, Firs.

Fomos também “falar com um surdo"… Ahahahah! Que engraçado dizer isto assim! Ele contou-nos informações sobre a cidade, sobre as gentes desta e sobre entregas de cartas e magia.

Agora a sério… o Vismund tem uma obsessão qualquer por um elfo. Acreditem que aquilo não é saudável! Sempre a perguntar às pessoas se viram um elfo assassino!

Paguei uma entrega ao mágico que não vê portas, porque ele queria ir entregar algo à torre da minha cidade e eu não quero voltar lá tão cedo. Cheira-me que mesmo assim vou ter que ir lá. Aquela gente trata-me como se eu fosse um elfo assassino…

Entretanto… o Firs, aquele mágico que não vê uma porta à frente, decidiu que era boa ideia ir para a arena lutar contra um símio infernal. Depois do fogo, mais fogo, pancada e puff puff (caso não tenham reparado, puff é o termo mágico para desaparecer e aparecer), e num ataque que provavelmente lhe salvou a vida, Firs fez o bicho fazer puff de vez.

Agora tenho que deixar de falar convosco, porque conversar no meio de uma arena silenciada por um desaparecimento não é algo discreto. Até breveeeeeee!

Comments

paulo_nogueira_ramos

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.