"Quão doce é o louvor e a justa glória

Dos próprios feitos, quando são soados!

Qualquer nobre trabalha que em memória

Vença ou iguale os grandes já passados.

As invejas da ilustre e alheia história 

Fazem mil vezes feitos sublimados.

Quem valerosas obras exercita,

Louvor alheio muito o esperta e incita."

 

Luís Vaz de Camões – Os Lusíadas

 

Mare Nostrum

as5368557 igor_lebreaud UristMcTiago primordium Czernywasser