Mare Nostrum

Zoblins, zoblins e mais escadas

Uma tragicomédia por Kyrez Savaeth

Cena 1

KYREZ (descendo escadas) Não acham que já chega?

DAVRIL (saltitando alegremente, degrau a degrau) Não, claro que não!

KYREZ Já descemos oitenta lanços de escada. Eu diria que estamos numa ilusão.

KTHYR A vida é uma ilusão. Quem sou eu que não sei quem sou? Que segredos habitam nos campos vazios da minha lembrança?

NAFID Pois…

KYREZ Davriiiiil!…

DAVRIL Vá lá, só mais um lanço de escadas… Só te queixas! Já com os Zoblins foi a mesma coisa!

Cena 2

KYREZ (debaixo de dois Zoblins mortos, enquanto um terceiro se lança sobre ele) Não acham que já chega?!

ZOBLIN gaaaaaaaahhhh….

NAFID Pois…

KYREZ A sério?! Mais um goblin zombie?! Já tenho três em cima de mim! Tenho de atacar este através de dois corpos putrefactos que nem sei se estão ainda a lutar ou não!

KTHYR Estaremos nós a lutar? Ou é tudo isto sonho? Será que ELDRITCH BLAST! a morte é apenas outra vida?

DAVRIL Se o Kyrez morrer, as coisas dele são minhas. Ele deixou-mas em testamento!

KYREZ Davriiiiil!!!…

ZOBLIN gaaaaaahhh!

Subitamente, surge, espectral, a figura de Umber, velho companheiro, morto em combate

KYREZ Umber?! Que graça dos deuses te trouxe de volta?

KTHYR Terá sido esse o dom que me originou? Graça de demónios ou maldição de deuses. Três vezes ELDRITCH BLAST! abençoado seja o meu nascer, três maldições carregue o meu existir!

Umber toca em Kyrez, devolvendo-lhe vida e força de lutar.

KYREZ Ei! Onde é que estás a pôr as mãos? Vê lá o que… Ooooh!

Kyrez, tomado por uma nova energia, rodopia pelos ares, derrotando os restantes inimigos.

DAVRIL Umber! Que fazes aqui?

UMBER Sei lá! Deixem-me em paz!

Umber dirige-se a uma parede e atravessa-a, desaparecendo para sempre.

Cena 3
O mesmo cenário da primeira cena.

KYREZ Não acham que já chega?!

DAVRIL Só descemos cem lanços de escadas!

KYREZ Davriiiil!!!….

DAVRIL Pronto, pronto! Era só para ter a certeza! Agora tenho. Estamos presos numa ilusão.

KTHYR Não estivemos sempre? A ilusão de ser alguém, a ilusão de que somos mais que meros peões no invisível tabuleiro do infinito?

NAFID Pois…

Cai o pano.

Comments

igor_lebreaud

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.